quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Identidade apagada


Na imensidão da vida, encontra-se uma identidade apagada submersa em defeitos gritantes e visíveis, onde o cristão mergulha de olhos vendados em um mundo desconhecido, visando conquistar unicamente uma característica do próximo que não combina com a sua personalidade.
Na caminhada desta imensidão obscura, surge um cenário avassalador, onde o protagonista está rodeado de obstáculos destrutíveis capaz de transformá-lo em uma pessoa obcecada, angustiada, deprimida e, ao mesmo tempo, antagonista da sua própria história: Ser alguém que ela nunca será.
É neste momento que começa surgir uma crise profunda de identidade recheada de frustrações incalculáveis em virtude das inúmeras tentativas em vão, por não possuírem o mesmo talento e autonomia do próximo para desenvolvê-la de uma maneira eficiente e eficaz, dentro do universo da mais perfeita sintonia.
Quando chega ao limite, em virtude das diversas tentativas fracassadas, o cristão, na maioria das vezes, percebe que algo está errado, que tais atitudes não combina com o seu perfil, com a sua essência, com o seu estilo de vida e, muito menos, com os ensinamentos bíblicos. 
Através desta visão, com a ajuda do Tempo, o mesmo passa a enxergar em si próprio um talento que estava adormecido e passa a usá-lo grandiosamente em prol da Obra de Deus. Obtendo uma marca registrada e única, sem imitações. 
Uma identidade apagada é como morar dentro de um labirinto que o impede, diariamente, de expor o dom que Deus lhe concedeu.

Seja único, original. Saia deste labirinto que te aprisiona e  use o seu precioso dom mediante a sua criatividade e sabedoria, antes que as armadilhas da vida acabem com você, ou melhor, com a sua personalidade.
Thiago de Meira Rezende

9 comentários:

  1. Muito edificante.
    Temos que sair do labirinto, e só DEUS pode nos ajudar a sair do labirinto, pois ele e, o caminho a verdade e a vida.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom Thiago!
    Viver sem identidade, ou com ela apagada, como explanas bem, é algo prejudicial a vida espiritaul, ao crescimento necessário para nos fortalecer na Caminhada.
    Como sabe, dias destes passei algum tempo pensando sobre as pessoas que eprdem a Identidade, deixando de parecer com Cristo, para se parecer com o mundo. E quando passamos a parecer com o mundo, perdemos tudo o que nos relaciona com a nossa Pátria, o Céu.

    ResponderExcluir
  3. Sempre é bom saber seus limites e principios, seus gostos e desgostos, seus sabores e dissabores, seguir a multidão nunca foi alternativa, cada ser é um mundo e cada mundo está cheio de seres diferentes. Esta é a essencia e mudá-la é perda de tempo. Obrigada pela recomendação de seu blog, sucesso. bj

    ResponderExcluir
  4. Adorei a postagem Thiago,
    devemos mesmo olhar para os talentos que Deus nos deu, em cada um de nós existe um tesouro escondido, mas só iremos acha-lo quando pararmos de olhar para o talento dos outros e olhar pra o nosso(sair do labirinto)kkkk.
    Que Deus o abençoe!
    http://mocidadeescolhida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Lindo blog querido. Retribuindo a visita ao PREGAI O EVANGELHO.
    Que Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Thiago, que mensagem poderosa e valorosa irmão! Que Deus te abençoe sempre e te inspire cada vez mais usando-o como instrumento para a salvação de muitas almas. Fica com Deus, Paz!!!

    ResponderExcluir
  7. CARO TIAGO, A PAZ DE CRISTO. VENDO SEU BLOG, ESTOU ACOMPANHANDO. FICA O CONVITE. http://rblog1000.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. A Paz do Senhor
    Fiz uma visita no seu blog e achei interessante. Estou me tornando seguidor de seu blog e gostaria que o irmão visitasse o meu blog também e torna-se seguidor dele. O meu blog possui estudos bíblicos e notícias religiosas que saem na imprensa. O irmão vai gostar. Deus abençoe.
    Rafael Carlos
    fidelidadeajesus.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Muita gente não se deixa ser usada por Deus, Thiago.... Tanta gente com tanto talento na Igreja, acabam ficando conformados em serem aquele tipo de cristão passivo, que se limita ao banco..
    Precisamos usar aquilo que Deus nos deu, para honra e louvor dEle. Não para engrandecimento nosso, mas, para que "eu diminua e Ele cresça".
    Como diriam nos nossos encontros da Aliança Bíblica Universitária (ABU):
    - Deixa Deus te usar, vaso! (rsrsr)

    Deus te abençoe.... Adoro visitar seu Blog e ler suas postagens.. Muito edificantes! Parabéns!

    ResponderExcluir

Quem acredita sempre alcança...

Obrigado pelo seu comentário!
Volte Sempre!
Abraços, Thiago!

Compartilhar